(77) 3455-2318 | (77) 3455-2272
×

Atenção

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 67

Conselho Federal de ADM fará protesto contra o fim do Boleto sem Registro

CFA realizará ação em frente ao Congresso Nacional para sensibilizar a sociedade sobre os impactos do fim do boleto sem registro

 

No próximo dia 23 de agosto de 2017, o gramado da Esplanada dos Ministérios, em Brasília, será palco de mais um protesto. A ação, promovida pelo Conselho Federal de Administração (CFA), visa chamar a atenção da população sobre o fim dos boletos sem registros. 

Essa medida provoca uma mudança significativa no sistema de boletos de pagamento. O que isso significa? Que o boleto sem registro deixará de existir até o final deste ano. Na prática, isso funciona da seguinte maneira: com a cobrança sem registro, o cedente geralmente paga apenas pelos boletos efetivamente quitados pelos sacados. Já com a nova medida, o banco vai cobrar não só pela emissão do boleto, mas também por outras taxas como alteração ou cancelamento do boleto

Para o presidente do CFA, Wagner Siqueira, a medida vai causar um grande impacto econômico. “Se já não bastasse a alta carga tributária, os empresários, principalmente os do segmento das micro e pequenas empresas, terão que se adaptar e migrar para uma carteira de cobrança muito mais onerosa”, diz. 

Segundo dados da E-commerce Brasil, realizada em parceria com o SEBRAE, cerca de 75% dos consumidores preferem pagar por meio do boleto bancário por causa das baixas taxas. Nas vendas online, o boleto é a segunda forma mais utilizada pelos compradores. Com a cobrança registrada, o custo de emissão do boleto vai pesar no bolso do empresário e, para reverter a situação, certamente repassará a conta ao consumidor. “A verdade é que a mudança apenas onera as organizações e a sociedade, sem qualquer contrapartida da rede bancária que, diga-se de passagem, bate recordes de arrecadação ano após ano, afirma Wagner. 

Em razão do impacto econômico que a medida trará para o dia a dia dos brasileiros, o CFA fará um ato repudiando o fim da cobrança sem registro. O evento acontecerá na quarta-feira, 23, a partir das 9h, e reunirá profissionais e estudantes de administração, além de empresários e cidadãos insatisfeitos com a medida. Durante a manifestação, uma raposa inflável gigante será colocada no gramado da Esplanada dos Ministérios a fim de chamar a atenção do público e provocar uma reflexão sobre o assunto. 

Campanha nacional - Paralelamente à manifestação, o CFA lançou, ainda, a campanha intitulada “Raposão”. O mascote usado na ação simboliza os banqueiros, que de taxa em taxa enriquecem às custas da população. O jingle da campanha é o “Rap do Raposão” e o vídeo faz referência ao estilo ostentação. A campanha será veiculada em publicações impressas, salas de cinema, rádios e redes sociais como YouTube e Facebook. 

Entenda melhor sobre o fim do Boleto sem Registro e veja a diferença entre os dois modelos (Com e Sem Registro)

 

Serviço

 

Evento: Manifestação em frente ao Congresso Nacional / Campanha Raposão

Objetivo:Chamar a atenção da população sobre o fim dos boletos sem registros

Onde: Gramado em frente ao Congresso Nacional.

Quando: 23 de agosto de 2017, a partir das 9h.

 Assessoria de Imprensa CFA

Fonte: http://www.cfa.org.br/servicos/news/cfanews/administradores-preparam-manifestacao

Como emitir uma nota de devolução de compra e venda

Como emitir uma nota de devolução de compra​​​?

Quando há a intenção de cancelar a ação de compra, é preciso emitir uma nota fiscal de devolução. Ela segue determinados procedimentos para que não haja problemas com impostos. 

Mesmo após tomar muito cuidado na hora de fazer uma compra adequada, há situações em que a devolução se torna necessária. É preciso ter um Certificado Digital A1 ou A3 para conseguir fazer a emissão, com telas semelhantes às da nota fiscal padrão, o que facilita a compreensão para realizar a tarefa. 

Tipos de devolução

Há dois tipos de devolução de compra: a com nota fiscal emitida pelo destinatário e a devolução com a mesma nota fiscal. No primeiro caso, o destinatário é o responsável por enviar ao remetente a nota fiscal de devolução, após receber de volta o produto e assinar o recibo de entrega. É importante anotar o motivo da devolução, o número, a série e a data da nota fiscal original, além de marcar a opção “nota fiscal de devolução” onde há o item “finalidade”. 

Já na devolução com a mesma nota fiscal o produto é devolvido com o mesmo documento fiscal e o destinatário precisa anotar na própria nota o motivo da devolução. O processo é mais simples e pode ser enviado para o livro de entradas, arquivado adequadamente como devolução junto às outras notas fiscais. 

É importante que a empresa que estiver recebendo a devolução informe na nota o IPI e o ICMS das mercadorias que foram devolvidas, para que seja feita tal como foi vendida e não ocorra duplicidade ou cobrança equivocada de impostos. 

Na troca de mercadorias também há dois processos específicos. O mais simples é quando o produto trocado está sem nenhum dano; quando é feita a troca, ele vai direto para o ponto de venda. Mas caso ele esteja com defeito, envia-se junto a ele uma nota fiscal de devolução informando sobre o problema e que haverá reposição do produto danificado. 

Se o produto defeituoso precisar ser destacado, o fornecedor deverá emitir uma nota fiscal de baixa de estoque, para informar a perda da mercadoria. 

Passo a passo para a emissão da nota

Como o sistema de emissão de nota fiscal de devolução é o mesmo que para a nota fiscal, basta ir no topo da página e marcar como Devolução, escolhendo a Operação de compra ou venda, indicando a Chave de acesso da Nota Fiscal. 
O restante diz respeito a informações sobre o cliente ou fornecedor que receberá a devolução, com informações sobre os motivos, valor do frete, informações fiscais, complementares, alíquota de ICMS e outras.

Confira abaixo os códigos da nota para saber sua natureza e não cometer erros: 

Quando a mercadoria for devolvida para indústrias: 
CFOP – 5201 – Operações no Estado
CFOP – 6201 – Operações em outros Estados

Quando a mercadoria for devolvida para comércio:
CFOP – 5202 – Operações no Estado
CFOP – 6202 – Operações em outros Estados

Quando a mercadoria for devolvida para ativo fixo ou consumo próprio:
CFOP – 5553 e 5556 – Operações no Estado
CFOP – 6553 e 6556 – Operações em outros Estados

E aí, gostou desse post! Confira outras dicas de gestão no nosso blog... 

Como alavancar as vendas de minha empresa com marketing de conteúdo

Como alavancar as vendas de minha empresa com marketing de conteúdo​?

 

Como alavancar as vendas de minha empresa com marketing de conteúdo

Se você é o dono de um negócio, ou está à frente da gestão de uma empresa, sem dúvidas está sempre em busca de formas de alavancar as vendas e conquistar uma maior lucratividade.

Mas já parou para pensar que existem táticas capazes de trazer este resultado e ainda melhorar sua imagem perante o mercado, aumentando assim a fidelidade? Isso mesmo. Estamos falando do marketing de conteúdo.

Mas o que é o marketing de conteúdo?

Como o próprio nome indica, o marketing de conteúdo nada mais é do que a união de ações e estratégias que têm como principal objetivo levar informações, dicas, novidades e muito mais para seus clientes.

Ou seja, ao invés de focar na comunicação somente no formato de publicidade, que simplesmente divulga os produtos ou serviços e seus atributos, no marketing de conteúdo a marca passa a ser uma fonte confiável de informações e, por isso, consegue conquistar a credibilidade e o coração dos consumidores.

Isso não significa que você terá que divulgar notícias a respeito de tudo que acontece por aí, mas sim, que será o canal que as pessoas buscarão para saber mais a respeito do seu tipo de produto e do universo que gira ao redor dele.

Parece complicado? Talvez, mas, na prática, não é tanto assim. Afinal, nada melhor do que uma empresa especializada no ramo para indicar quais são as melhores práticas para se tirar o máximo de proveito da experiência de compra e dicas para aproveitar melhor o que ele pode proporcionar.

Imagine, por exemplo, que sua empresa vende determinado produto ou serviço para o público adolescente. Neste caso, o marketing de conteúdo deve envolver ações e comunicações voltadas para este consumidor, com uma linguagem apropriada, estar presente em eventos que possam chamar a atenção deles e, quem sabe, a criação de vídeos, textos e imagens que sejam pertinentes à realidade deles. Uma ideia bacana seria convidar influenciadores digitais para escreverem textos no blog de sua empresa. Com isso você estará gerando tráfego para seu site através de conteúdo.

Você poderá ainda falar diretamente do produto e da experiência de compra em si, mas sempre agregando conteúdos que sejam relevantes e que realmente façam a diferença no cotidiano deles. Quem sabe até fazer parcerias com outras marcas, artistas, bandas e por aí vai.

Mas o que isso tem a ver com as vendas?

Por incrível que pareça, este trabalho afeta as vendas em cheio, e sempre da melhor maneira possível. Isso ocorre porque tudo que o consumidor mais quer é encontrar uma marca que reconheça o que ele realmente deseja.

Quanto mais próxima sua marca estiver do seu consumidor, melhor será a relação que ele terá com ela. Com isso, além de comprar mais e de forma mais fiel, ele irá compartilhar e dividir o conteúdo que sua empresa publicar para seus amigos e conhecidos, aumentando a rede de visibilidade.

A internet e as redes sociais são o melhor canal para apostar no marketing de conteúdo. Você poderá utilizar todas estas ferramentas e se tornar mais do que uma opção de compra, se tornando parte da vida desse consumidor, que confiará e respeitará a opinião e a informação publicada pelos seus canais.

Pense nisso e comece a desenvolver sua estratégia de marketing de conteúdo agora mesmo. Suas vendas agradecem!

5 passos simples para atender bem e conquistar o seu cliente

Já entrou em algum estabelecimento determinado a comprar o produto da vitrine e foi mal atendido? Infelizmente, isso tem se tornado cada vez mais comum no Brasil.

Em uma cultura como a nossa, que somos conhecidos como povo alegre, receptivo e festivo. Quando se trata do atendimento ao consumidor isso não ocorre e somos considerados um dos piores no ranking de atendimento ao consumidor.

Segundo uma pesquisa feita pela revista Pequenas Empresas Grandes Negócios revelou que a maioria dos clientes na hora da compra levam o atendimento mais em conta do que o preço da mercadoria.

Confira 5 passos simples e de baixo custo que melhorarão o atendimento do seu estabelecimento:

1º Passo:

Tenha o hábito de praticar sempre o olho no olho na conversa com o cliente. Isso mostrará que de fato você está pronto a atender e ouvir as suas necessidades.  Chame-o pelo nome e tenha um sorriso no rosto desde a primeira abordagem. Isso mostra abertura e satisfação em atendê-lo.

  2º Passo:

Procure entender a necessidade de seu cliente para depois sugerir o produto adequado a ele. Não empurre produtos que não tenha haver com a necessidade do seu cliente e o que ele busca no momento. Procure ouvi-lo bem antes!

3º Passo:

Atenda o cliente como você gostaria de ser atendido. Procure entender a melhor forma de atendê-lo e crie uma ligação de sintonia e simpatia com o cliente. Lembre-se um cliente nunca será igual ao outro. Procure personalizar o atendimento de modo que todos saiam satisfeitos.


4º Passo:

Procure treinar seus funcionários e avaliar o atendimento de todos eles de forma a motivá-los. Quando motivamos; as pessoas sempre querem melhorar e superar as dificuldades.

Identifique os que atendem bem e os que precisam melhorar. Procure trabalha-los de modo que eles entendam como é importante deixar o cliente encantado com o atendimento.

5º Passo:

Quando se prioriza a qualidade no atendimento o resultado financeiro no quesito lucro aumenta. Mas para isso é preciso que a sua equipe esteja engajada, satisfeita e motivada. Procure conscientizar os gestores de sua empresa dessa importância em valorizar a equipe e inspirá-los a se transformarem em pessoas que gerem resultados.

Portanto; seguindo estas dicas, você conseguirá ter uma equipe que atenda bem aos seus clientes. Estes clientes logo sairão satisfeitos e logo ao necessitarem de algum serviço ou produto eles irão lembrar e indicar a sua empresa. Com isso, as vendas de sua empresa aumentarão o que te dará um maior retorno financeiro. Investir no atendimento ao cliente é o meio mais eficaz de atingir o objetivo financeiro de sua empresa.

 

Como Alavancar as Vendas de sua Pequena Empresa com a Ajuda da Internet

Como Alavancar as Vendas de sua Pequena Empresa com a Ajuda da Internet

Existem técnicas de vendas que servem para empresários desde muito antes do estudo da comercialização para o mundo online. Acontece que por falta de informação ou capacitação, muitos não sabem como coloca-los em prática após o surgimento desse mundo tão dinâmico e acompanhar a velocidade com que as tecnologias vão avançando.

Se você tem um pequeno negócio nesse contexto de crise econômica, precisa se agarrar a essas dicas de como alavancar as vendas da sua pequena empresa com a ajuda da internet, adaptando simples conceitos aplicáveis a qualquer negócio do mundo. Não deixe a chance de acelerar as suas vendas escapar, venha conosco ver essas dicas!

  • Saiba quem é seu público objetivo

Não adianta investir uma alta quantia de dinheiro em social media ou em mini campanhas de comunicação para divulgar a sua marca, se você não conhece o público que necessita do seu produto ou serviço. Aprenda a segmentar o seu cliente ideal, tanto para desenvolver ações digitais de marketing, quanto para achar o target perfeito para a sua próxima peça publicitária.

Do que adianta oferecer uma solução com qualidade, se não chega a quem necessita realmente?

  • Promocione-se

Por incrível que pareça, essas pequenas ações podem ser uma grande troca de favores entre você e o seu cliente. Sempre há algum produto no estoque que não sai muito em determinado período, ou algum serviço que não é muito procurado porque o clima não ajuda muito ou porque não estamos em período de festas.

Abra a sua mente, aprenda a usar a internet para gerenciar os fluxos de vendas da sua empresa. Ou seja, criar promoções digitais para estimular a compra daqueles produtos que estão estocados. Os seus clientes são pessoas, e pessoas adoram sentir que estão ganhando algo, gostam da sensação de que estão levando vantagens em relação a uma empresa.

Se você fornece algum produto ou serviço online, pode oferecer uma experiência prévia de 15 ou 30 dias, para que a pessoa possa experimentar antes e a sua empresa passa a ganhar a confiança dela.

  • Passe credibilidade através do seu site web

O mundo real anda cheio de informações e as pessoas tendem a procurar a internet para delimitar as barreiras dos seus interesses. Quando estão procurando algum produto específico, eles recorrem a sites de marcas que possam ajudar a tirar suas dúvidas.

A sua missão é não deixar que ele saia do seu site e vá para o do concorrente. Explique quem você é, o que você faz, como criou a empresa e a sua missão no mundo com ela. Exponha comentários de consumidores anteriores reais, compartilhando a experiência deles com a sua marca, passando credibilidade ao futuro cliente.

  • Comunique-se de maneira clara e objetiva

Não cometa o erro de perder seu cliente porque a sua pequena empresa não sabe comunicar o que vende. Lembre-se que estamos em um momento de crise, se alguém lhe procura na internet para comprar algo, é porque realmente a precisa. Então aproveite essa oportunidade para captar clientes e alavancar as suas vendas.

Facilite o acesso às informações sobre a sua empresa e o seu produto/serviço. Uma linguagem clara para passar a mensagem é de crucial importância, se possível, contrate uma agencia de comunicação. Dê valor à sua página na internet, crie conteúdos relacionados ao ramo de pertencimento da sua marca, sempre com o objetivo relacionado a vendas.

Sempre esteja ali quando o seu cliente precisar. Crie a opção de chat online para responder dúvidas, lembre-se que a tendência do mundo é a expansão do sentimento de individualização do outro, principalmente na hora da compra. Esse serviço personalizado é sempre um plus na hora da decisão de compra, provavelmente seu cliente irá comentar com os outros. Responda e-mails em um curto período de tempo também, às vezes o consumidor só precisa tirar uma dúvida antes de comprar.

  • Facilite a vida do seu cliente

Se for divulgar links na internet, para alavancar as suas vendas o ideal seria direciona-los sempre para a página de compras e não para a home do seu site. Normalmente é uma página vazia ou com muitos anunciantes patrocinadores, o que não é interessante para captar a atenção do comprador.

Ofereça várias formas de pagamento, será menos uma dor de cabeça para o cliente e provavelmente uma fortaleza em relação ao seu concorrente que aceita apenas uma bandeira de cartão ou somente paypal.

  • Posicione-se nos sites de busca na internet

Google, Yahoo!, Bing, MSN Live, Ask, entre outros. Compre palavras específicas para diferenciar-se dos concorrentes e para que quando uma pessoa procure palavras relacionadas, você apareça no top 10 desses sites de pesquisa.  

A melhor maneira de posicionar-se e alavancar as vendas da sua pequena empresa com a ajuda da internet é a utilização do Search Engine Optimization (SEO), um processo que melhora a visibilidade do seu site nos sites de busca na internet, posicionando-se através de palavras que estejam relacionadas com o que você vende.

Esperamos ter ajudado você a entender como utilizar a internet para alavancar as vendas da sua pequena empresa, assim você não irá perder clientes para os seus concorrentes. Além disso, é de vital importância estar presente na vida do consumidor ante qualquer momento de dúvida, lembre-se que eles são pessoas e o mundo tende a uma dinâmica de vida instantânea, onde as informações estão por todos os lados. Não se atrase!

E aí, gostou desse post! Confira mais dicas de gestão no nosso blog...