(77) 3455-2318 | (77) 3455-2272

A SEFAZ da Bahia divulgou o Decreto nº 17.878, de 22 de agosto de 2017, que altera diversas regras referentes às datas de obrigatoriedade de emissão da NFC-e, anteriormente dispostas no Decreto nº 13.780, de 16 de março de 2012.

Com a nova legislação, vários contribuintes tiveram a obrigatoriedade adiantada, e devem se preparar com ainda mais urgência. 

Veja como ficam as obrigatoriedades da NFC-e na Bahia:

Ficam os contribuintes obrigados ao uso de NFC-e a partir das datas
indicadas a seguir:

I - 22.08.2017 , em cada novo estabelecimento inscrito no CAD-ICMS
deste Estado; (Data anterior: 01/01/2017)
II - 01.11.2017 , nos estabelecimentos inscritos no cadastro de
contribuinte do Estado da Bahia que apurem o imposto pelo regime de
conta-corrente fiscal; (Data anterior para maioria das empresas: 01/01/2020)
III - 01.01.2019 , nos estabelecimentos de contribuintes optantes pelo
Simples Nacional.(Data anterior: 01/01/2020)

Além das novas datas e agrupamentos de contribuintes, foi alterada a data de início da proibição de uso de novos equipamentos ECF.

I –  (Proibído o) uso de novos equipamentos ECF, mesmo que oriundos de
transferência de outro estabelecimento do mesmo contribuinte, a partir de
01.10.2017 ; (Data anterior: 01/01/2018)

As exceções específicas também foram modificadas neste novo decreto. Confira:

 A obrigatoriedade de emissão de NFC-e não se aplica:
I – nas operações promovidas por concessionárias de serviço público,
relacionadas com o fornecimento de água, energia elétrica e gás
canalizado;
II – nas prestações de serviços de comunicação;
III - nas prestações de serviços de transporte de carga, valores e de
passageiros;

IV – nas operações realizadas por contribuintes que optem por emitir NF-
e em todas as operações.

V – nas operações realizadas por instituições de assistência social ou de
educação de que trata o inciso XI do art. 265 deste Regulamento;
VI – aos contribuintes inscritos no cadastro de contribuintes do ICMS
como Micro Empreendedor Individual - MEI.

Para operações fora do estabelecimento, como no caso de vendedores ambulantes, há uma regra exclusiva:

Tratando-se de operações fora do estabelecimento, o uso da NFC-e
somente será obrigatório a partir de 01.01.2019 . (Regra acrescentada no novo decreto (17878/17))

 Fonte: http://tsdn.tecnospeed.com.br

Aos contribuintes

O Maxpro foi um dos pioneiros na emissão de NFC-e, trazendo para os clientes mais confiabilidade, segurança e conforto. Caso seja um contribuinte que inicie suas atividades a partir deste decreto já deverá emitir a NFC-e, ou por algum motivo precise trocar de impressora fiscal ou fazer alguma manutenção que tenha um custo não viável, você também já pode migrar para a NFC-e, evitando gastos desnecessários e já atualizando sua empresa para essa nova tecnologia.

Saiba mais sobre o modulo de NFC-e do Maxpro clicando aqui, ou tire suas dúvidas entrando em contato com nosso suporte, basta clicar aqui.

É com satisfação que informamos que a Sismais Tecnologia realizou uma grande conquista, torando-se uma empresa associada à ABES (Associação Brasileira das Empresas de Software).

O que é a ABES?

A ABES é a entidade mais representativa do setor tecnológico com cerca de 1600 empresas associadas ou conveniadas, distribuídas em 23 estados brasileiros, mais o Distrito Federal.
A ABES foi fundada em 9 de setembro de 1986, com o propósito de representar o setor nas áreas legislativa e tributária, orientando as empresas associadas em relação às políticas voltadas ao fortalecimento da cadeia de valor da Indústria Brasileira de Software e Serviços, no combate à pirataria de softwares nacionais ou internacionais e no apoio as pesquisas, desenvolvimento, inovação e ao desenvolvimento do software nacional.
A ABES se propõe a ser uma fonte consistente e com credibilidade de informações, análises do mercado nacional e internacional, orientações legais e indicação de tendências, para que os associados tomem suas decisões com mais segurança e assertividade.

Quais são os benefícios adquiridos pelas empresas associadas à ABES?

A empresa associada tem acesso à diversas conveniências como:
• Orientadores Jurídicos: O Departamento Jurídico da ABES atende diariamente na sede social da entidade, oferecendo análise e orientação qualificadas das principais leis que afetam as atividades dos associados. Tratam de assuntos legais de interesse direto de quem atua neste mercado, como questões trabalhistas, tributárias e de propriedade intelectual.
• Pesquisas e Estudos: Realização e divulgação de pesquisas e estudos sobre vários aspectos do mercado de software que contribuem para o desenvolvimento dos negócios dos associados.
• Emissão de Certidões: Serviço fundamental que qualifica as empresas associadas para participarem de licitações, concorrências e tomadas de preço de órgãos e empresas públicas.
• ABES Informa: Newsletter quinzenal da entidade, que apresenta as novidades e notícias sobre o setor de software no Brasil e no mundo, além das atividades e campanhas da ABES, as oportunidades de negócios, os casos de sucesso dos associados e muitas outras informações qualificadas que ajudam na tomada de decisões.
• Agenda de eventos: A área de eventos do Portal ABES reúne os mais diversos eventos específicos de tecnologia da informação, bem como de outros setores de interesse dos profissionais e empresários de TI. Trata-se também de um canal para que os associados também possam divulgar seus eventos
A ABES trabalha continuamente para representar seus associados e fortalecer a indústria de software nacional, relacionando-se com instituições, órgãos públicos, empresas, imprensa e sociedade, destacando a importância estratégica do mercado. Tendo em vista este objetivo, a entidade participa dos seguintes fóruns:
• Conselho de Administração da Sociedade SOFTEX - Associação para a Promoção da Excelência do Software Brasileiro.
• Conselho de Administração do ITS Instituto de Tecnologia de Software de São Paulo.
• Ocupa a Vice-presidência de Software do CEBRASSE - Central Brasileira do Setor de Serviços.
• Conselho Nacional de Combate à Pirataria - Ministério da Justiça.
• Entre outros.

O que muda para os clientes da Sismais Tecnologia após a associação da empresa com a ABES?

A Sismais Tecnologia tem como principal objetivo atingir e superar as expectativas dos clientes, se preocupando com a qualidade do serviço prestado, tanto em relação aos recursos do Maxpro ERP quanto em relação ao serviço prestado por todos os membros da equipe.
A Sismais Tecnologia está sempre preocupada em operar em um mercado pautado pela ética e dentro dos melhores princípios empresariais. Por esse motivo foi tomada a iniciativa de se associar à ABES com o intuito de melhorar os processos de toda a empresa, estabelecendo padrões de qualidade no desempenho das atividades. O objetivo é criar um modelo de excelência garantindo com que o serviço prestado seja o melhor possível, agradando e fidelizando o cliente.
O sistema Maxpro ERP que é o principal produto da Sismais Tecnologia passará por uma rigorosa análise de qualidade realizada por profissionais da ABES. Após a comprovação de que os recursos do sistema e as estratégias de trabalho da empresa estão atingindo seu objetivo, a Sismais Tecnologia receberá da ABES uma certidão que garante a qualidade e a eficácia do produto. Dessa forma, a Sismais Tecnologia passa também a atender as regras dos processos que envolvem o Governo, com um documento reconhecido e de emitente idôneo.

Para saber mais sobre a ABES (Associação Brasileira das Empresas de Software) acesse o site www.abessoftware.com.br e fique por dentro da mais nova conquista da Sismais Tecnologia.

E você, quer ter sucesso em seu negócio?
Então venha para o Maxpró ERP!

Montar o próprio negócio é o sonho de muitos brasileiros. Segundo uma pesquisa realizada pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), dois a cada três brasileiros entre 25 e 35 anos tem como principal meta de vida ter o seu próprio negócio. Para que esse sonho seja concretizado com sucesso, para que o empreendedor tenha bons resultados, é preciso que tenha um bom controle sobre cada setor dentro da empresa, isso inclui RH, comercial, financeiro, controle de estoque, administrativo, etc.

Analisar e gerir toda a informação gerada por esses setores, geraria um custo alto, seria necessário várias pessoas trabalhando especificamente nessa função e teria um gasto de tempo grande. Para suprir essa necessidade com eficiência, agilidade, confiabilidade e  menor custo, foi desenvolvido sistemas ERP (Enterprise Resource Planning), que em português é traduzido como Planejamento de Recursos Empresariais.
Um ERP tem como objetivo fornecer para o empresário, gerente e os demais responsáveis, recursos que diminui custos, otimiza resultados e tonifica a gestão, tornando possível o acompanhamento de cada setor de forma unificada, pois o ERP possui módulos para cada setor dentro de um só software.

Pensando na importância de um ERP dentro de uma empresa, criamos esse artigo para listar 6 bons motivos para aderir a um software ERP, são eles:

1 - Corte de custos desnecessários.

Com um ERP a empresa poupará custos, pois grande parte de tarefas que são controladas por papeis, cadernos, agendas, etc. Passarão a ser controlada dentro do próprio ERP. Além disso, economia com o tempo gasto de forma ultrapassada será poupado e assim sendo utilizado em outras tarefas, pois o ERP facilitara e agilizara o processo de gestão, fechamentos de vendas, controle de estoque, relatórios, agendamentos, controle de inadimplência, etc.

2 - Redução de erros.

O fluxo dos processos de uma empresa ficam mais visíveis quando dentro do ERP, tendo todo o histórico das ocorrências registrados, o que facilita as tomadas de decisões e o planejamento. Um bom exemplo é a redução de erros relacionados ao estoque. Com o ERP, sua empresa consegue manter as quantidades mínimas de produto, considerando a demanda. Como resultado, prejuízos resultantes de mal planejamento deixam de ser um problema.

3 - Gestão unificada.

Os sistemas ERP permitem a integração de diversos departamentos e até filiais, proporcionando ao gestor uma visão mais ampla dos resultados consolidados tanto no nível amplo da empresa, quanto no de desenvolvimento individual. Como consequência, o serviço realizado por cada funcionário da organização é acompanhado e tem-se maior controle dos benefícios a serem pagos.

4 - Eficiência e agilidade em vendas.

Com um ERP seus clientes serão atendidos de forma rápida, pratica e eficiente. Como resultado, sua empresa diminuirá a fila de atendimento, clientes estarão sempre satisfeitos e dispostos a fazer futuras compras e por consequência, você terá um diferencial entre seus concorrentes.

5 - Planejamento de metas e estratégias de mercado.

Traçar metas e planejar estratégias sem ter uma visão ampla e limpa do comercio é uma tarefa difícil, pois planejar resultados futuros sem saber ao certo a situação atual, é bem provável os resultados não serão como esperado. Para solucionar esse e outros problemas, um ERP é desenvolvido sobre muita análise e testes por pessoas especializadas para que o empresário tenha um total controle sobre informações financeiras, comerciais, histórico de clientes e relatórios específicos para cada necessidade. Um exemplo é a necessidade de traçar uma meta de vendas, caso essa tarefa for feita sem um sistema de gestão, as pessoas envolvidas vão gastar horas analisando papéis e mesmo assim podem não ter um resultado exato. Para um ERP isso seria uma tarefa rápida, pratica e confiável. 

6 - Aumento da produtividade.

Um ERP torna a empresa mais produtiva, pois agiliza e organiza informações e favorece o acesso aos dados e indicadores mais importantes para tomada de decisões que tragam maior fluidez ao trabalho.

Sem contar que um ERP permite feedbacks mais rápidos em relação a procedimentos essenciais na empresa, permitindo que todas as equipes procurem se adequar e atuar mais engajadas, em prol dos mesmos objetivos, diminuindo ruídos e queda de produtividade.

CFA realizará ação em frente ao Congresso Nacional para sensibilizar a sociedade sobre os impactos do fim do boleto sem registro

 

No próximo dia 23 de agosto de 2017, o gramado da Esplanada dos Ministérios, em Brasília, será palco de mais um protesto. A ação, promovida pelo Conselho Federal de Administração (CFA), visa chamar a atenção da população sobre o fim dos boletos sem registros. 

Essa medida provoca uma mudança significativa no sistema de boletos de pagamento. O que isso significa? Que o boleto sem registro deixará de existir até o final deste ano. Na prática, isso funciona da seguinte maneira: com a cobrança sem registro, o cedente geralmente paga apenas pelos boletos efetivamente quitados pelos sacados. Já com a nova medida, o banco vai cobrar não só pela emissão do boleto, mas também por outras taxas como alteração ou cancelamento do boleto

Para o presidente do CFA, Wagner Siqueira, a medida vai causar um grande impacto econômico. “Se já não bastasse a alta carga tributária, os empresários, principalmente os do segmento das micro e pequenas empresas, terão que se adaptar e migrar para uma carteira de cobrança muito mais onerosa”, diz. 

Segundo dados da E-commerce Brasil, realizada em parceria com o SEBRAE, cerca de 75% dos consumidores preferem pagar por meio do boleto bancário por causa das baixas taxas. Nas vendas online, o boleto é a segunda forma mais utilizada pelos compradores. Com a cobrança registrada, o custo de emissão do boleto vai pesar no bolso do empresário e, para reverter a situação, certamente repassará a conta ao consumidor. “A verdade é que a mudança apenas onera as organizações e a sociedade, sem qualquer contrapartida da rede bancária que, diga-se de passagem, bate recordes de arrecadação ano após ano, afirma Wagner. 

Em razão do impacto econômico que a medida trará para o dia a dia dos brasileiros, o CFA fará um ato repudiando o fim da cobrança sem registro. O evento acontecerá na quarta-feira, 23, a partir das 9h, e reunirá profissionais e estudantes de administração, além de empresários e cidadãos insatisfeitos com a medida. Durante a manifestação, uma raposa inflável gigante será colocada no gramado da Esplanada dos Ministérios a fim de chamar a atenção do público e provocar uma reflexão sobre o assunto. 

Campanha nacional - Paralelamente à manifestação, o CFA lançou, ainda, a campanha intitulada “Raposão”. O mascote usado na ação simboliza os banqueiros, que de taxa em taxa enriquecem às custas da população. O jingle da campanha é o “Rap do Raposão” e o vídeo faz referência ao estilo ostentação. A campanha será veiculada em publicações impressas, salas de cinema, rádios e redes sociais como YouTube e Facebook. 

Entenda melhor sobre o fim do Boleto sem Registro e veja a diferença entre os dois modelos (Com e Sem Registro)

 

Serviço

 

Evento: Manifestação em frente ao Congresso Nacional / Campanha Raposão

Objetivo:Chamar a atenção da população sobre o fim dos boletos sem registros

Onde: Gramado em frente ao Congresso Nacional.

Quando: 23 de agosto de 2017, a partir das 9h.

 Assessoria de Imprensa CFA

Fonte: http://www.cfa.org.br/servicos/news/cfanews/administradores-preparam-manifestacao

Sabemos que o encerramento do semestre (Junho e Dezembro) é um mês aquecido para vendas, no caso de Junho no Nordeste é ainda mais agitado! É um período que quando passa, sentimos falta. Mas e agora, o que fazer já que a melhor época do semestre se foi? Esperar pelo dia dos pais, das crianças ou pelo Natal?  Não mesmo!

Vendeu bem? Ótimo, comemore com sua equipe, valorize aqueles que contribuíram para o resultado, e volte ao trabalho.

Não vendeu bem? Então identifique suas falhas, reúna com sua equipe, converse, peça opiniões tente entender o que não deu certo, aprenda, e volte ao trabalho.

Veja o que você pode fazer depois de Junho ou Dezembro (ou em qualquer outra época):

  1. ANALISE E REAVALIE SEU ESTOQUE
    Veja os produtos que estão saindo de moda (ou ficando vencidos), separe-os, faça uma promoção, anuncie, e venda também em Julho!
    Faça uma contagem de estoque, catalogue todos os produtos que você tem, veja os produtos que mais foram vendidos, e tenha esta analise em mãos para se projetar melhor para as próximas festas Juninas (faça isso também para outras datas comemorativas).
     
  2. REDUZA SUAS CONTAS A RECEBER
    Tão importante quanto vender, é receber.

    Separe os “fiados”, eleja alguém da empresa (ou até de fora) para ficar responsável pela cobrança, se possível, pague uma comissão por recebimento para que a pessoa se empenhe mais ainda (cobrar dos outros não é uma tarefa fácil e tão pouco agradável, e por isso deve ser valorizado). Lembre-se de ter todos os dados da pessoa na hora de cobra (isso assegura seus direitos), emita carta de cobrança formal e com logo da empresa. Seja discreto, mas exija seus direitos.

    Ainda não conseguiu receber? Então negative no SPC, Serasa, CDL, Sindac, etc!
     
  3. CONTROLE SEU FINANCEIRO
    A maioria das empresas não controla as despesas ou contas a pagar direito, geralmente contam somente com as vendas para cobrir os custos diversos que envolvem o negócio. Porém, em tempos de recessão quando não é possível aumentar o volume de vendas e este tende a cair, o que temos que fazer é ir pra cima dos custos. Avalie todos os custos fixos e variáveis da sua empresa, tente entender melhor para onde está indo seu dinheiro, feito isso veja quais destes custos você consegue reduzir ou cortar.

    O coração de uma empresa é o seu fluxo de caixa (Bombeamento de dinheiro), se você não cuida bem dessa parte, você corre sérios riscos. O Lucro de uma empresa não está em vender muito, e sim em Gastar menos do que Recebe.
     
  4. PREPARE SUA EQUIPE
    Aproveite a época de menor movimento para capacitar você e sua equipe, busque cursos (o Sebrae e o CDL podem ajudar nisso), participe de feiras do seu setor, se não puder ir presencialmente, procure Online, o Sebrae e a Endeavor tem ótimos conteúdos online de aprendizagem.
     
  5. MELHORE A IMAGEM DA SUA EMPRESA, FORTALEÇA SUA MARCA
    Com as redes sociais em alta, e a tecnologia cada vez presente, é requisito obrigatório sua empresa ter no mínimo uma Página no Facebook. Crie páginas e perfis nas redes sociais, poste fotos e momentos que envolvem seus produtos, crie uma relação mais próxima com seus clientes. Além disso o comportamento do consumidor está mudando constantemente, hoje não basta apenas ter o produto, e ter um bom preço, isso os concorrentes também tem.

    É preciso se diferenciar, ter um serviço melhor, um diferencial, algo que toque o cliente.
     
  6. SEJA RESILIENTE
    Problemas, dificuldades, sempre vão existir. Mas é você quem decide como passar por cada um deles!
     
  7. MUDE! ADAPTE-SE! ATUALIZE-SE
    O mundo muda o tempo todo, a tecnologia tem mudado o mundo como nuca, então se você não se atualizar, é certo que irá ficar pra trás. Ter um negócio não é mais tão simples como antes. É preciso adaptar-se e traçar novas estratégias o tempo todo. Mas tome cuidado para não perder a essência da Missão e Visão da sua empresa!
     
  8. ENCONTRE BOAS PESSOAS PARA ESTAREM AO SEU LADO
    Apesar de desemprego estar em alta no país, o que mais temos visto dos proprietários de pequenos negócios é a dificuldade em encontrar boas pessoas para integrar à equipe. Falta mão de obra qualificada, e que queira trabalhar e fazer acontecer.

    Se você tem objetivo de crescer e prosperar em seu negócio, precisará contratar os melhores, os mais dispostos, pessoas empreendedoras que façam mais que a obrigação, enfim os mais “VIVOS” para o negócio. E quando encontrar boas pessoas, valorize-as, não é fácil encontra-las.
     
  9. FAÇA UMA GESTÃO EFICIENTE DO SEU NEGÓCIO
    A vida de um empreendedor é muito corrida, e cheia de atividades, com isso falta tempo pra dar conta de tanta coisa. É por isso que você não pode deixar de planejar e fazer uma gestão eficiente da sua empresa. Como fazer isso? Analise como funciona o seu dia a dia, e da sua equipe, tente padronizar e criar processos para cada passo que é dado. Defina quem é responsável pelo que dentro da empresa, faça com que ela cuide desta parte e seja responsável pelos resultados positivos ou negativos daquilo que foi encarregada.
     
  10. USE E ABUSE DE UM SOFTWARE DE GESTÃO DE QUALIDADE!
    Nos tempos antigos gerenciar um negócio com caneta e papel era possível e simples, naquela época, não havia tanta concorrência, colocar preço errado no produto? Sem problemas! A margem dos outros equilibrava. O mundo não era tão Digital e tão conectado, então a caneta e papel eram parceiros fortes do empresário.

    Mas os tempos mudaram, a concorrência aumenta o tempo todo (a estimativa é de que em 50 anos existam no Brasil 1 empresa ou pequeno negócio para cada 5 pessoas), o consumidor está cada vez mais informado, exigente, conectado, e para completar o governo criar dezenas de milhares de regras tributárias e confusas (o sistema tributário brasileiro é tido como o mais complexo do mundo)!

    Dar conta de um negócio no Brasil Atual é coisa de atleta de nível olímpico, tem que ter raça, trabalhar duro, e acima de tudo gerir bem toda esta situação. Se você ainda não usa um sistema de gestão, então já está atrasado, se usa e ainda não faz uso pleno ou não consegue enxergar o valor que ele traz pra você (Usa apenas para atender à alguma obrigação fiscal por exemplo), Você também está atrasado!

    VOCÊ PRECISA TER EM SUA EMPRESA UM SOFTWARE DE QUALIDADE E BEM IMPLANTADO!

Uma verdadeira maratona não é? Por isso reafirmo, ser empreendedor hoje e dono do próprio negócio é praticar atletismo a nível olímpico!
Se você encontra dificuldades para “encaixar” as coisas e fazer sua empresa funcionar como gostaria, talvez precise estudar um pouco mais (ou estudar muito) sobre gestão, ou, se tiver disponibilidade financeira, contratar um consultor, que poderá ajudar e acelerar no processo. Mas atenção: A não ser que sua empresa tenha dinheiro o suficiente para bancar um consultor indefinidamente ou contratar um gerente de alto nível, VOCÊ é quem precisará dar conta do recado. Não caia na Zona de Conforto, busque sempre novos desafios. Levar uma vida de empreendedorismo e em busca de desafios, é como praticar exercícios, você pode ater ter dificuldade no início, achar cômodo, ter preguiça, mas após um tempo persistindo, isso se torna parte de você, seu corpo e sua mente vão pedir por isso, e aí você conseguirá traçar uma estratégia e alcançar o "Troféu Olímpico".

Dica:

Se precisar de um ótimo sistema de gestão para ajudar em vários aspectos do que foi falado acima, Conte com o Maxpró ERP. É um sistema de gestão que está a mais de 10 anos no mercado, atende empresas em mais de 5 estados, possui suporte de qualidade e multicanal (Chat, Help Desk, E-Mail, Telefone, Vídeo Aulas e Manuais).
Aprovado na última pesquisa de satisfação, o Maxpró vem ganhando destaque no mercado. Aproveite para conhecer e ver o que ele pode fazer pela sua empresa, e por você!

Gostou das dicas acima? Compartilhe com a gente, envie suas dúvidas.

 

Entendendo um pouco:

Já algum tempo a Sefaz vem amadurecendo o projeto da NF-e, NFC-e ou CF-e SAT, buscando uma forma de digitalizar todos os documentos fiscais. Porém, apesar da modernidade no sentido tecnologico, a NF-e, NFC-e e CF-e SAT trouxeram obrigações e complicações adicionais, como o preenchimento do CST, NCM, CSOSN e mais recentemente o CEST, que tem dado uma baita dor de cabeça para as empresa contribuintes de ICMS e também para os desenvolvedores de Software como nós do Maxpró ERP.

O CEST "Código Especificador da Situação Tributária" será responsável por classificar os produtos com incindência de Substituição Tributária (ICMS ST). Ele gerou um desconforto enorme, por ser complicado de implementar, e principalmente por surgir para fazer um trabalho que já era cumprido quase com totalidade através dos conjuntos: CFOP, NCM, CST, CSOSN. Agora com o CEST, a tributação se tornará mais rigorosa e exigirá mais atenção por parte do contribuinte.

Ele foi estabelecido através do Convênio ICMS 92, de 20 de Agosto de 2015 (Convênio ICMS 92), e tem o objetivo de identificar todas as mercadorias incidentes ao regime de substituição tributária.

Prazo

Após adiar por algumas vezes a obrigatoriedade, os convênios ICMS 52/17 , ICMS 60/17 e ICMS 62/17 estabeleceram o prazo final que estabelece a obrigatoriedade da seguinte forma:

  • 01/07/2017, para a INDÚSTRIA e o IMPORTADOR;
  • 01/10/2017, para o ATACADISTA;
  • 01/04/2018, para os demais segmentos econômicos.

Quais empresas são obrigadas à informar o CEST?

Todas as empresa, incluindo as optantes pelo Simples Nacional serão obrigadas a informar o CEST seguindo os prazos informados acima.

Onde encontrar o CEST?

O CONVÊNIO ICMS 52/17 traz uma lista atualizada contendo todos os códigos CEST atuais.
Uma outra alternativa, é o site: https://www.codigocest.com.br/ que permite descobrir o CEST de um produto através do NCM.

E para quem utiliza o Maxpró ERP, foi desenvolvido um método que facilitará muito na hora de encontrar o CEST de um produto. (veja mais abaixo).

Em quais produtos devo informar o CEST ?

Será obrigatório informar o CEST em todos os produtos que incidem ou incidiram Substituição Tributária. Os demais produtos podem ter o CEST informado, mas não será obrigatório.

Essa validação será feita pela sefaz e retornará um erro ao emitir a NF caso não esteja correto. A Sefaz valida da seguinte forma:
Se por exemplo, você estiver usando:

CST B igual:

  • 10 - tributada com cobrança de ICMS por substituição tributária
  • 30 - isenta ou não tributada com cobrança de ICMS por substituição tributária
  • 60 - ICMS cobrado anteriormente por substituição tributária
  • 70 - com redução de base de cálculo e cobrança de ICMS por substituição tributária
  • 90 - outros, (desde que o produto tenha ICMS ST na emissão nota fiscal de saída, tag: vICMSST)

ou CSOSN igual a:

  • 201 - Tributada pelo Simples Nacional com permissão de crédito e com cobrança do ICMS por substituição tributária
  • 202 - tributada pelo Simples Nacional sem permissão de crédito e com cobrança do ICMS por substituição tributária
  • 203 - isenção de ICMS do Simples Nacional para a faixa de receita, com cobrança do ICMS por substituição tributária
  • 500 - ICMS cobrado anteriormente por substituição tributária ou por antecipação;
  • 900 - outros, desde que com valor de ICMS retido por substituição tributária (tag vICMSST diferente de zero).

Você será obrigado a informar o CEST, caso contrário haverá rejeição ( Rejeição: Operação com ICMS-ST sem informação do CEST ). Agora se você utiliza os CSOSN 101,102,400 ou CST B 00, 40 por exemplo, você poderá deixar o campo CEST em branco, caso você não encontre o código correspondente.

O que torna o processo de busca do CEST mais complicado é o fato de que, em alguns casos teremos 1 (um) CEST para mais de 1 (um) NCM, e em outros casos teremos 1 (um) NCM com 2 (dois) ou mais CEST, tudo dependerá do contexto em que o produto se enquadra e da descrição correspondendo do CEST com o produto.

Se não fosse esta associação (Muitos CEST para Muitos NCMS), seria possível que os sotwares buscassem o CEST automático de acordo com o NCM já existente no produto. Infelizmente não poderá ser assim, os softwares que dizem fazer isso, podem estar associando um CEST errado ao seu produto, fique atento.

Como devo me preparar?

  1. Faça uma revisão do cadastro de produtos:
    O CEST é novo, e assim como ocorreu no surgimento do NCM, será necessário efetuar uma revisão dos cadastros de produtos, verificando quais produtos são substituidos e inserido o CEST adequado.

  2. Conferir seu o seu sistema de emissção de NF-e, NFC-e ou CF-e SAT já tem o CEST implementado.
    Seguindo os prazos mencionados lá em cima, se seu sistema não possuir suporte ao CEST suas notas fiscais serão rejeitadas, solicite ao suporte do seu sistema que o atualizem o quanto antes (caso ainda não tenha suporte ao CEST).
    Se você é cliente do Maxpro, basta Clicar Aqui e verificar como preencher o CEST.

  3. Importância de estar preparado para o CEST:

    Adequando sua empresa às novas exigências de identificação do código CEST, junto ao enquadramento de seus produtos com o imposto ICMS ST, você evitará rejeições na autorização de NF-e e NFC-e junto a SEFAZ.

    Conhecendo essas informações você reduzirá os riscos de atrasos na entrega de mercadorias ao cliente e evitará problemas com a fiscalização da SEFAZ, por falta de informação do código no envio de suas declarações fiscais e cupons fiscais, e até mesmo conseguirá conferir se o seu fornecedor está emitindo a nota fiscal corretamente.

  4. Consulte seu contato
    A tributação brasileira é uma das mais complexas do mundo e a cada regra nova, surgem dúvidas e mais dúvidas. Você deve contar com um bom sistema para atender à estas demandas fiscais, mas também precisará do apoio de um bom contador para acompanhar e auxiliar nestas dúvidas tributários mais teoricas. Se estiver com dúvida, prefira solicitar ajuda a que tentar fazer de forma equivocada e gerar riscos futuros;

Nós desenvolvemos no Maxpro uma forma mais fácil e assertiva de encontrar o CEST adequado ao produto:

Nossa equipe planejou a implementação do CEST no Maxpró de forma que a seu preenchimento se tornasse o mais simples possível, após algumas analises e códigos e mais códigos de programação, chegamos à um metodo que acreditamos acelerar e facilitar muito o processo de adequação dos seus produtos ao CEST, confira no link abaixo:

Como encontrar e preencher o CEST de um produto no Maxpro ERP

A Sismais Tecnologia tem como objetivo satisfazer os seus clientes, encantar, surpreender positivamente, atender e ofertar com excelência, fazer com que a experiência seja um momento enriquecedor.

Por isso, foi realizada uma pesquisa com o intuito de medir o grau de satisfação dos clientes em relação ao sistema Maxpro ERP e à empresa Sismais Tecnologia.

A Pesquisa de satisfação é um levantamento estatístico desenvolvido para as empresas e prestadores de serviços saberem o quanto os clientes estão aprovando os produtos e serviços oferecidos por elas, com foco na obtenção de informações para melhoria contínua.

A Sismais entende que a pesquisa de satisfação é uma das principais ferramentas para conhecer os seus clientes, e para identificar as falhas e oportunidades de melhoria em seus serviços.

A pesquisa foi realizada com 90% usuários do Maxpro ERP através de um questionário composto em sua maior parte por questões objetivas.

É com prazer que divulgamos o resultado da pesquisa de satisfação de cliente realizada no ano de 2017 no período do mês de janeiro ao mês de março (referente ao ano de 2016).

Os dados obtidos pela pesquisa apontam que os usuários do Maxpro ERP estão satisfeitos tanto com o sistema quando com a empresa.

Confiram os resultados:

  • Sobre a QUALIDADE do Maxpro ERP: 91,15% deram nota de 8 a 10 para o sistema, e 5,85% deram nota 7, totalizando 97% de aprovação da qualidade do sistema. 
  • Sobre o ATENDIMENTO e SUPORTE: 87,45% deram nota de 8 a 10 para o serviço prestado, e 10,40% deram nota 7, totalizando 97,9% de aprovação entre os pontos mais altos.
  • Sobre a qualidade dos RECURSOS ATUAIS: 79,73% dos usuários avaliaram como ótimos e bons, e 14,9% avaliaram como razoável, totalizando 94,63% de aprovação.
  • Sobre a VELOCIDADE do sistema: 97,15% dos usuários avaliaram o Maxpro como um sistema rápido e razoável.
  • Sobre a USABILIDADE do sistema (Se o sistema é fácil ou difícil): 99,06% dos usuários avaliaram como fácil e razoável.
  • Sobre o VISUAL do sistema: 100% dos usuários avaliaram como bonito e razoável.
  • Sobre a média de tempo em que as DÚVIDAS/PROBLEMAS são resolvidos: 82% dos usuários disseram que as dúvidas e problemas são resolvidos imediatamente ou em algumas horas e 18% disseram que as dúvidas e problemas são resolvidos dentro de 24 horas, totalizando 100% dos de dúvidas e problemas resolvidos.
  • Sobre contatar o SUPORTE: 90,6% dos usuários disseram que sempre que necessitam contatar o suporte, conseguem.
  • Sobre a INDICAÇÃO do Maxpro: 94,15% das pessoas disseram que a possibilidade de indicar o Maxpro é alta ou extremamente alta.

Confiram os resultados em forma de gráficos:

 

DE 0 A 10 QUAL A SUA NOTA PARA O SISTEMA MAXPRO ERP?

image001

 

DE 0 A 10 COMO VOCÊ AVALIA O ATENDIMENTO E SUPORTE DA EQUIPE?

image003

 

COMO VOCÊ AVALIA OS RECURSOS ATUAIS DO SISTEMA?

image005

 

COMO VOCÊ AVALIA O DESEMPENHO (VELOCIDADE) DO SISTEMA?

image007

 

VOCÊ ACHA O MAXPRO UM SISTEMA FÁCIL DE USAR? 

image009

 

COMO VOCÊ DEFINE O VISUAL DO SISTEMA?

image011

 

APÓS ENTRAR EM CONTATO COM O SUPORTE, OS PROBLEMAS/DÚVIDAS SÃO RESOLVIDOS: 

image013

 

SEMPRE QUE PRECISA, VOCÊ CONSEGUE ENTRAR EM CONTATO COM O SUPORTE?

image015

 

QUAL É A PROBABILIDADE DE VOCÊ RECOMENDAR O MAXPRO PARA OUTRA PESSOA?

image017

Você é daqueles gestores que usa o método “tradicional” de anotar tudo com papel e caneta? A gestão da sua empresa não é digital? Pois saiba que você está complicando a gestão e perdendo uma oportunidade de ouro.

Hoje em dia existem sistemas de gestão completos e integrados, que facilitam a gestão de qualquer negócio, agilizam o serviço e aumentam a produtividade. Um sistema de gestão empresarial é um programa que integra todos os dados e processos de um negócio no mesmo sistema de forma automatizada e organizada. Ou seja, optar por essa tecnologia é modernizar a sua empresa, garantindo a simplificação dos processos e o aumento de resultados positivos.

Otimização dos processos e organização

Uma das principais vantagens ao usar um sistema de gestão é que tudo é mais rápido e prático, tudo pode ser resolvido no mesmo programa. Com ele, os dados de todos os setores vão sendo automaticamente organizados e podem gerar estatísticas e relatórios que vão te ajudar a entender melhor o seu negócio, o que está funcionando, o que precisa mudar, quais são as necessidades imediatas.

Por exemplo, se você mantém todas as informações no papel, é muito provável que quando quiser saber se tem um determinado produto tenha que ir até o estoque conferir. Mas com o sistema de gestão fica muito mais fácil, basta consultar no computador se o produto está disponível através do sistema de controle do estoque. Ele também ajuda a entender o que tem mais saída e quando, bem como o que está encalhado e pode te dar prejuízo. A vantagem disso é que você pode aumentar os lucros direcionando suas ações e pedidos.

Essa mesma simplicidade e eficiência vale para pagamentos, pedidos, gastos, lucros: tudo está disponível a um clique, sem complicação. A informatização do seu negócio também diminui drasticamente as chances de cometer erros ou confusões, que muitas vezes significam prejuízo, como esquecer de pagar um fornecedor ou de fazer um pedido.

Em um mundo dinâmico e competitivo, implantar um sistema de gestão significa aumentar a produtividade e reduzir custos, pontos muito importantes para qualquer empreendimento, ainda mais em tempos de crise.

Visão geral da empresa traz resultados melhores

Com uma empresa mais organizada e com uma gestão eficiente, é possível ter uma visão global do seu negócio, identificando problemas, pontos positivos e negativos e mudanças que podem ser feitas. Um sistema de gestão inclui controle de estoque, de vendas e financeiro, além de relatórios automáticos

Para uma empresa dar certo é preciso entender cada fator que ela envolve: finanças, administração, compras e atendimentos. Se você não souber exatamente o que acontece em cada setor, vai ter problemas e prejuízos. Mas fazer tudo isso com documentos e arquivos físicos fica muito complicado e demorado.

O sistema de gestão integra sua empresa e faz esse serviço sem te dar dores de cabeça, de forma eficiente e econômica. É uma oportunidade de fazer o seu negócio melhorar, garantindo o melhor serviço e atendimento, sem grandes gastos ou problemas para a empresa.

E aí, gostou desse post! Confira outras dicas de gestão no nosso blog... 

Duplicata e Promissória são dois documentos muito utilizados hoje em dia. Mas muitos não sabem as principais diferenças entre eles.

Veja no vídeo abaixo, feito pela Excelencia Cusros a diferença entre os dois de forma simples e clara:

 

Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=zorkOuyW1GU

Como emitir uma nota de devolução de compra​​​?

Quando há a intenção de cancelar a ação de compra, é preciso emitir uma nota fiscal de devolução. Ela segue determinados procedimentos para que não haja problemas com impostos. 

Mesmo após tomar muito cuidado na hora de fazer uma compra adequada, há situações em que a devolução se torna necessária. É preciso ter um Certificado Digital A1 ou A3 para conseguir fazer a emissão, com telas semelhantes às da nota fiscal padrão, o que facilita a compreensão para realizar a tarefa. 

Tipos de devolução

Há dois tipos de devolução de compra: a com nota fiscal emitida pelo destinatário e a devolução com a mesma nota fiscal. No primeiro caso, o destinatário é o responsável por enviar ao remetente a nota fiscal de devolução, após receber de volta o produto e assinar o recibo de entrega. É importante anotar o motivo da devolução, o número, a série e a data da nota fiscal original, além de marcar a opção “nota fiscal de devolução” onde há o item “finalidade”. 

Já na devolução com a mesma nota fiscal o produto é devolvido com o mesmo documento fiscal e o destinatário precisa anotar na própria nota o motivo da devolução. O processo é mais simples e pode ser enviado para o livro de entradas, arquivado adequadamente como devolução junto às outras notas fiscais. 

É importante que a empresa que estiver recebendo a devolução informe na nota o IPI e o ICMS das mercadorias que foram devolvidas, para que seja feita tal como foi vendida e não ocorra duplicidade ou cobrança equivocada de impostos. 

Na troca de mercadorias também há dois processos específicos. O mais simples é quando o produto trocado está sem nenhum dano; quando é feita a troca, ele vai direto para o ponto de venda. Mas caso ele esteja com defeito, envia-se junto a ele uma nota fiscal de devolução informando sobre o problema e que haverá reposição do produto danificado. 

Se o produto defeituoso precisar ser destacado, o fornecedor deverá emitir uma nota fiscal de baixa de estoque, para informar a perda da mercadoria. 

Passo a passo para a emissão da nota

Como o sistema de emissão de nota fiscal de devolução é o mesmo que para a nota fiscal, basta ir no topo da página e marcar como Devolução, escolhendo a Operação de compra ou venda, indicando a Chave de acesso da Nota Fiscal. 
O restante diz respeito a informações sobre o cliente ou fornecedor que receberá a devolução, com informações sobre os motivos, valor do frete, informações fiscais, complementares, alíquota de ICMS e outras.

Confira abaixo os códigos da nota para saber sua natureza e não cometer erros: 

Quando a mercadoria for devolvida para indústrias: 
CFOP – 5201 – Operações no Estado
CFOP – 6201 – Operações em outros Estados

Quando a mercadoria for devolvida para comércio:
CFOP – 5202 – Operações no Estado
CFOP – 6202 – Operações em outros Estados

Quando a mercadoria for devolvida para ativo fixo ou consumo próprio:
CFOP – 5553 e 5556 – Operações no Estado
CFOP – 6553 e 6556 – Operações em outros Estados

E aí, gostou desse post! Confira outras dicas de gestão no nosso blog...